Energia Eólica off-shore

Energia Eólica off-shore

Fale connosco

Av. 5 de Outubro, nº208 1069-203 Lisboa
(351) 217 922 700 / 800

Implantação em Portugal

O potencial eólico no oceano, ou no mar, é tipicamente mais elevado do que em terra, apresentando o vento maior intensidade, menor turbulência e mais disponibilidade em áreas contínuas. São de considerar em relação à energia eólica duas regiões principais: perto da costa (near-shore), até cerca de 40 m de profundidade, e ao largo (off-shore), entre cerca de 40 e 200 m de profundidade.

 

A energia eólica é explorada em regiões adequadas fora das zonas de exclusão, isto é, em locais onde podem ocorrer conflitos de interesse por coexistência com outras atividades ou instalações, de batimetria e constituição do fundo submarino (existência de rocha, declive), e onde o vento é mais intenso. Tendo em conta as limitações estima-se que em Portugal seja possível instalar parques eólicos perfazendo até 3500 MW em near-shore admitindo um limiar de disponibilidade de 2700 h/ano, ou 1400 MW com 2900 h/ano (valor bruto). Em off-shore estima-se um potencial teórico adicional de 40 GW.

 

Em Portugal as zonas com maior recurso, isto é, com maior velocidade do vento, estão situadas a norte e, no centro, ao largo de Peniche e Ericeira. 

 

Portugal é pioneiro na demonstração de uma tecnologia de turbinas eólicas flutuantes para águas profundas, com plataforma em aço estabilizada por um sistema hidráulico. Aproveitando o facto de ser na parte norte da costa portuguesa que se encontram os ventos marítimos de maior intensidade, foi instalado em 2011, 6 km ao largo da Aguçadoura, Póvoa de Varzim, o primeiro protótipo do mundo de uma turbina eólica flutuante, denominado WindFloat Demo. A turbina e a respetiva base foram fabricadas nos estaleiros em Setúbal e rebocadas, diminuindo assim bastante os custos de instalação típicos das turbinas no mar.

Figura 1 – Turbina flutuante WindFloat, transporte para Viana do Castelo (fonte: DOCK 90).

 

Ao longo do seu tempo de vida a turbina flutuante sobreviveu a ventos de 41 m/s e ondas de 17 m de altura.

Atualmente está a ser instalado ao largo de Viana do Castelo um conjunto de três turbinas destas com 25 MW de potência total, denominado WindFloat Atlantic, que será o primeiro parque eólico flutuante da Europa (Figura 1).